Project Description

Eco-Restaurante Itinerante da Serra

Morar Mais BH 2016


Projeto: Maluh Amorim

Fotos: Gustavo Xavier

Mesclando a paixão do capim dourado com elementos naturais como o bambu, o Eco-Restaurante Itinerante da Serra circula por todos os bairros da cidade, levando em seu conceito o uso de práticas mais conscientes e sustentáveis, inovação, customização, brasilidade, inclusão social, tecnologia e a valorização da nossa cultura brasileira.

Um ambiente que prima pela qualidade de seus serviços e pelo bom atendimento de seus clientes priorizando o uso de produtos orgânicos de produtores locais: legumes, verduras e frutas frescas sem agrotóxicos e o aproveitamento de 100% dos alimentos – sem sobras e desperdícios. E também uma preocupação com a melhor forma de uso dos recursos naturais na questão do uso da energia solar, da captação e reuso da água de chuva nas áreas molhadas da Cozinha e Banheiros, da eficiência energética através do uso de lâmpadas de LED ( menor consumo de energia e  de emissão de carbono na atmosfera), da escolha pela iluminação e ventilação natural, da reciclagem do lixo e coleta seletiva, do reaproveitamento do óleo de fritura para fabricação do biodiesel e sabão, da reciclagem das embalagens plásticas, vidros e papéis quando usadas; pois aqui existe o diferencial de que é servido aos clientes água natural aromatizada em recipientes e copos de vidro e guardanapos de pano.

O uso das cores quentes e tramas variadas, como o dourado, tendência forte na decoração, o verde tiffany e o bordô nos móveis, o âmbar da pedra mineira, o algodão natural nos tecidos, o  verde das plantas do jardim integrado ao ambiente proporcionando o maior contato com  a natureza, o piso amadeirado,  bem como a iluminação indireta cria uma relação de proximidade e conforto.

Os móveis são fabricados em madeira de reflorestamento com destaque para as mesas em bambu e urucum, desenho inusitado da arquiteta e as mesas redondas Provence e cadeiras Turmalina,  que são design de estudantes do Vale do Jequitinhonha. A parede ganhou um efeito especial com o revestimento reciclado de resíduos de paetês e pvc e com as mandalas em capim dourado feitas pela comunidade de artesãs no Vale do Jalapão. A adega de vinhos chama atenção com o novo uso dado à estrutura de molas de colchão. Já o móvel de confraria  foi feito com tocos de madeira de demolição e aço cortem.

Isto  tudo transforma as  refeições em uma experiência única e agradável; fazendo com que as pessoas tenham vontade de voltar.